Brexit sem acordo vai levar o Reino Unido à recessão, conclui relatório

De acordo com o Relatório de Riscos Fiscais para 2019, a saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo vai levar a uma recessão na economia britânica já no próximo ano.

1025

ue impacto terá para o Reino Unido uma saída da União Europeia (UE) sem acordo? As respostas são dadas esta quinta-feira pelo Escritório de Responsabilidade Orçamental britânico, que aponta consequências perante este cenário. O documento refere que um “divórcio” sem acordo levará a uma recessão da economia do Reino Unido já no próximo ano.

As pesquisas foram particularmente fracas em junho, denunciando que o ritmo de crescimento [da economia britânica] provavelmente continuará fraco. Isso aumenta o risco de a economia estar a entrar em recessão total”, refere o relatório do Escritório de Responsabilidade Orçamental (OBR, na sigla inglesa), citado pelo The Guardian (conteúdo em inglês).

Os números apontam para uma queda de 2% no PIB britânico até ao final do próximo ano, 4% abaixo das previsões de março. O aumento da incerteza e a diminuição da confiança iriam impactar o investimento, afetando o comércio.

Até há pouco tempo, o OBR assumia que iria acontecer um Brexit com acordo mas, depois das posições manifestadas por Boris Johnson e Jeremy Hunt, uma saída sem acordo começou a ser considerada. Assim, um “divórcio” sem acordo representaria 30 mil milhões de libras (33,2 mil milhões de euros) por ano a mais em empréstimos a partir de 2020, o que elevaria a dívida pública para 12% do PIB até 2023 ou 2024.

“Um cenário mais desordeiro ou desordenado poderá atingir as finanças públicas com muito mais força”, lê-se no relatório, que usou como base para as suas previsões o modelo do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A médio prazo, preveem-se riscos como maior austeridade, mais gastos com a saúde e mais reformas. Os riscos a longo prazo incluem custos de assistência social, envelhecimento da população e um triplo travão nas pensões.

Em conferência de imprensa, o chefe da OBR, Robert Chote, falou ainda nas consequências que as alterações climáticas trarão para o país. Se as metas definidas no Acordo de Paris forem cumpridas, as mudanças climáticas poderão ser menos dispendiosas do que outras ameaças. Contudo, “se a mitigação global falhar e as subidas de temperatura forem significativas, os riscos poderão ser maiores e mais difíceis de avaliar”, disse, explicando que “isso vai provocar uma migração internacional em massa”.

Facebook Comments