Gangue brasileira entrega drogas em 10 minutos utilizando frota de entregadores

A chamada acima é do site Standard que divulgou hoje uma matéria informando um crime envolvendo propriedades da AirBnB e entregadores em um esquema que envolve 5 milhões de libras para fornecer drogas pela cidade de Londres, segundo tribunal.

90

Os clientes tinham a opção de escolher as drogas em um menu incluindo cocaína e ecstasy e receberiam o pedido em 10 minutos. O grupo criminoso tinha como objetivo fazer 30 entregas por dia. 

Segundo o promotor Peter Finnigan, propriedades da AirBnB foram alugadas temporariamente para serem usadas como centro de distribuição para não levantar suspeitas. No entanto, a policia iniciou uma vigilância após o telefone de um dos entregadores contendo mensagens incriminadoras ser apreendido.

Finnigan disse que os policiais do Met invadiram centros de armazenamento em King’s Cross, Hoxton, Battersea e na Old Kent Road em julho do ano passado e apreenderam cerca de 3 milhões de libras em drogas. A polícia também encontrou celulares usados ​​e evidências de 2,5 milhões de libras esterlinas de lucros de drogas.

O promotor afirmou ainda que o objetivo do grupo era “se destacar no mercado”. Eles usaram rastreadores de alta tecnologia e grupos de mensagens no WhatsApp para realizar as entregas rapidamente.

Souellen Miguez, de 34 anos, foi acusada de alugar os apartamentos da Airbnb, contratar funcionários e organizar o armazenamento das drogas. Carlos Libardi da Silva, 33 anos, e Bernardo Salles, 25 anos, eram “tenentes de confiança”, enquanto Andre Alves, 22, Isabella Braga Da Silva, 20, e Shawi Attie, 30, também estavam envolvidos.

A matéria diz ainda que todos os seis acusados, que são brasileiros, negam cinco acusações de conspiração para fornecer drogas classe A. As acusações ainda incluem mais nove denúncias envolvendo o fornecimento de drogas das classes B e C e lavagem de dinheiro.

Confira a notícia completa no site Standard.

Facebook Comments