Milhares de pessoas protestam no centro de Londres por um novo referendo

Milhares de pessoas estão marchando pelo centro de Londres pedindo por outro referendo, enquanto os parlamentares buscam uma saída para o impasse do Brexit.

13

Os manifestantes da campanha “Put It To The People” estão marchando de Park Lane para a Parliament Square, antes de se manifestarem em frente ao Parlamento.  O manifesto acontece após a UE concordar em atrasar a saída do Reino Unido da UE.

Theresa May disse que vai abandonar os planos de um outro voto para seu acordo, se não houver apoio dos parlamentares. A menos que o acordo seja aprovado pelos parlamentares, o Reino Unido terá de apresentar um plano alternativo ou poderá sair sem um acordo em abril.

Enquanto isso, uma petição on-line recorde no site do Parlamento pedindo que o Brexit seja cancelado revogando o Artigo 50 atraiu mais de 4,18 milhões de assinaturas. A deputada liberal democrata Layla Moran disse que a petição poderia “dar oxigênio” à campanha por outro referendo Brexit.

Se o acordo de May for aprovado pelos parlamentares na próxima semana, a UE concordou em prorrogar o prazo do Brexit até 22 de maio. Se não for – e nenhum plano alternativo for apresentado – o Reino Unido deverá deixar a UE em 12 de abril.

Em uma carta a todos os parlamentares na noite de sexta-feira, Theresa May se ofereceu para conversar nos próximos dias enquanto o Parlamento se prepara para tomar decisões importantes.

Às 11h32 de sábado, o número total de assinaturas solicitando que o Artigo 50 fosse revogado estava em 4.151.815 – superando o recorde anterior alcançado por outra petição relacionada ao Brexit em 2016.

Margaret Georgiadou, que montou a petição, twittou anteriormente que ela havia recebido três ameaças de morte pelo telefone, ela também disse que fechou sua conta no Facebook depois de receber uma  grande quantidade de abusos. O comitê de petições do Parlamento twittou na sexta-feira que a taxa de assinaturas era a mais alta que o site já teve que lidar, depois que o site caiu.

Conteúdo retirado do site BBC.