No Reino Unido, prisioneiros bem-comportados podem ter as chaves para as suas próprias celas

Alguns prisioneiros britânicos vão ter acesso às chaves das suas celas, liberdade para cozinhar refeições e mais tempo para ir ao ginásio num esforço de compensar o bom comportamento nas prisões.

360

O governo britânico anunciou na quinta-feira estes planos, que podem ainda incluir mais tempo de visita para os prisioneiros, mais tempo fora das celas e a possibilidade de escolher quando tomar banho.

Segundo a política, alguns prisioneiros poderão trancar a porta da sua própria celaquando quiserem privacidade. Ainda assim, o staff da prisão ainda poderá ter acesso aos quartos trancados, de acordo com o The Guardian.

Os funcionários também serão encorajados a reconhecer consistentemente o bom comportamento com “reforço verbal”. O mau comportamento também deve ser desafiado fora das revisões formais.

As autoridades esperam que um sistema de reforço positivo melhore o comportamento nas prisões. No ano passado, o número de ataques de prisioneiros na Inglaterra e no País de Gales atingiu um recorde histórico, de acordo com a BBC.

Houve 33.803 assaltos registados por prisioneiros no ano até setembro de 2018, com 10.085 destes a pessoal prisional. 92 pessoas se suicidaram na prisão – um aumento acentuado dos 72 em 2017.

Empregados e prisioneiros nos tipos mais comuns de cadeias enfrentam riscos “agudos”por causa de staff inadequado, segundo um relatório recente do principal inspetor de prisões do país. O relatório de Peter Clarke, divulgado na terça-feira, revelou que “a escassez de pessoal foi tão aguda que os riscos para os prisioneiros e funcionários foram muitas vezes severos e os níveis de todos os tipos de violência aumentaram”.

O secretário de Justiça, David Gauke, disse que “esta nova estrutura dá aos governadores as ferramentas para estabelecer padrões de comportamento claros para os prisioneiros – aumentando a sua capacidade de manter a estabilidade e afastando os infratores de uma vida de crime”.

O ex-candidato à liderança dos conservadores e ex-ministro das prisões, Rory Stewart, já tinha pedido que as prisões fossem “lugares de segurança, decência e atividade proposital”, onde os prisioneiros possam “dar a volta” às suas vidas.

Peter Dawson, diretor da Prison Reform Trust do Reino Unido, elogiou os planos em comunicado, de acordo com a Newsweek. “O nosso trabalho mostra que as pessoas que vivem na prisão têm um interesse genuíno num ambiente calmo e bem ordenado, onde o envolvimento construtivo é positivamente encorajado. Isso reflete-se em grande parte dos estudos sobre regimes prisionais eficazes”.

Facebook Comments