Secretário de Defesa, Gavin Williamson, diz que militares “estão prontos para responder” à crise de crimes com facas

A oferta vem quando o chefe da polícia admitiu que “nós não temos oficiais suficientes”.

As forças armadas do Reino Unido “estão prontas” para intervir na epidemia do crime, disse o secretário de Defesa.  Gavin Williamson afirmou que a força militar “sempre estaria pronta para responder” aos pedidos de ajuda, enquanto o Ministério da Defesa “sempre está pronto para ajudar qualquer departamento do governo”.

Nenhum pedido ainda foi feito, disse Williamson durante uma sessão de perguntas e respostas na noite de terça-feira passada.

Cressida Dick, comissária da Polícia Metropolitana, disse que estaria disposta a trazer tropas para apoiar seus oficiais enquanto lutam contra uma onda de esfaqueamentos.

A epidemia de crimes com facas provocou um debate furioso sobre os números policiais, com Dick discordando de Theresa May, que disse anteriormente que um aumento no crime não está diretamente relacionado à queda dos níveis de pessoal.

O número de policiais na Inglaterra e no País de Gales caiu em mais de 20.000 desde 2010.

Na quarta-feira, o chefe do Conselho Nacional de Polícia disse que “nós simplesmente não temos policiais suficientes” e pediu que o governo colocasse “dinheiro de emergência” no policiamento que poderia ser usado para pagar horas extras e reajustar oficiais para as áreas mais problemáticas. 

Segundo o site BBC o numero de esfaqueamentos fatais em 2017 e 2018 é o maior numero já registrado. O jornal ainda listou as 100 mortes registradas desde o inicio do ano. Os esfaqueamentos foram a maior causa de morte, totalizando 41 mortes, sendo as restantes 59 resultantes de outras causas, como assalto ou incêndio.

Vinte e duas vítimas foram mortas em Londres, nove na Grande Manchester e oito em West Midlands.

Informações retiradas dos jornais Independent e BBC

Comentários