Theresa May implora aos parlamentares por mais tempo

Ministro admite que o Reino Unido poderia estar a poucos dias de Brexit sem acordo.

7
Britain's Prime Minister Theresa May listens as Jeremy Corbyn speaks, after the voting in Parliament, London, Britain, January 29, 2019, in this screen grab taken from video. Reuters TV via REUTERS

Theresa May vai apelar aos parlamentares para “manterem-se calmos” depois que um ministro admitiu que o Reino Unido está próximo de um Brexit sem acordo antes que a Câmara votasse em seu plano.

Em um discurso ao parlamento na terça-feira, May dirá: “As conversas estão em um estágio crucial. Agora todos nós precisamos manter a calma para conseguir as mudanças que esta Câmara exigiu e entregar o Brexit a tempo”.

A líder do Commons, Andrea Leadsom, admitiu que o chamado “voto significativo” no acordo com a primeira-ministra poderia ser adiado até depois de uma importante cúpula da UE em 21 de março – apenas uma semana antes do dia da saída.

May deve fazer uma declaração aos parlamentares às 12:30 – um dia antes do que se esperava – antes de um debate na quinta-feira sobre os próximos passos para o Brexit.

A PM dirá ao Parlamento que ainda acredita ser possível conseguir um acordo que os parlamentares possam apoiar.

 “Ao conseguir as mudanças que precisamos para o ‘backstop’ para proteger, reforçar os direitos dos trabalhadores e as proteções ambientais, e ao reforçar o papel do Parlamento na próxima fase de negociações, acredito que podemos chegar a um acordo que esta assembleia possa apoiar”, dirá a Primeira Ministra.

May tem tentado garantir mudanças no arranjo do ‘backstop’ –  política de “seguro” para evitar o retorno aos controles de fronteira na ilha da Irlanda.

A UE reiterou que não renegociará o acordo de retirada.

Falando após um jantar com o secretário do Brexit, Steve Barclay, na noite de segunda-feira, o negociador da UE Michel Barnier disse que as negociações foram construtivas, mas acrescentou que “está claro que não vamos reabrir o acordo de retirada, mas continuaremos nossas discussões nos próximos dias”.

Confira a notícia completa na BBC e no jornal Independent.