Theresa May tentará persuadir os parlamentares pela terceira vez a apoiar seu acordo Brexit

24

A primeira-ministra Theresa May tentará persuadir os parlamentares pela terceira vez a apoiar seu acordo Brexit nos próximos dias.

A Câmara dos Comuns votará em seu acordo de retirada até 20 de março, após os MPs concordarem em pedir à UE que adie o Brexit para além da data de partida atual de 29 de março. Os parlamentares conservadores e o DUP estão buscando mais garantias legais sobre o acordo.

O ministro do Gabinete, David Lidington, disse que há uma verdadeira impaciência na Europa e que, a menos que os parlamentares concordem com um acordo, a UE pode buscar um atraso de mais de um ano.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse que os líderes da UE podem estar abertos a uma longa extensão se o Reino Unido achar necessário repensar sua estratégia Brexit.

Durante a semana uma série de votações sobre Brexit ocorreram na Câmara dos Comuns:

    – Na terça-feira, os parlamentares rejeitaram o acordo de retirada de May pela segunda vez por 149 votos
    –  Na quarta-feira, os parlamentares votaram em rejeitar a ideia do Reino Unido deixar a UE sem um acordo sob nenhuma circunstância. No entanto, esse voto não era juridicamente vinculativo – e, de acordo com a lei atual, o Reino Unido ainda pode sair sem um acordo em 29 de março.
     – Na quinta-feira, a Câmara dos Comuns votou por 413 a 202 para buscar uma extensão para o Artigo 50 – o mecanismo legal pelo qual o Reino Unido deve deixar a UE

Qualquer atraso exigirá o acordo de todos os outros 27 membros da UE, com conversas sobre as possíveis condições para uma prorrogação antes da cúpula da semana que vem, que começa na quinta-feira.

Se os parlamentares aprovarem o acordo de Theresa May antes da cúpula de Bruxelas, ela poderá pedir à UE que adie o Brexit até 30 de junho. Entretanto, pode haver um atraso maior, exigindo que o Reino Unido participe das eleições para o Parlamento Europeu em maio, caso seu acordo não seja aprovado, afirmou a primeira-ministra. 

As informações são do site BBC

Facebook Comments