Trump em UK: Presidente afirma que NHS deveria fazer parte de um acordo comercial

Donald Trump retomou suas declarações de que o NHS deveria fazer parte de um futuro acordo comercial entre o Reino Unido e os EUA

784

Donald Trump retomou suas declarações de que o NHS deveria fazer parte de um futuro acordo comercial entre o Reino Unido e os EUA. O comentário, feito durante a sua visita de estado ao Reino Unido, provocou uma reação dos candidatos da liderança conservadora, trabalhistas e sindicatos.

Mas na quarta-feira, o presidente dos Estados Unidos disse ao Good Morning Britain da ITV: “Eu não vejo isso na mesa”. Ele acrescentou que o NHS era algo que ele não consideraria parte do comércio.

As regras atuais permitem que empresas estrangeiras façam licitações para contratos do NHS e uma subsidiária da empresa americana United Health está entre grupos privados que já o fizeram com sucesso.

Alguns, no entanto, temem que o serviço de saúde esteja vulnerável à privatização insidiosa ou ao enfraquecimento do controle rígido que o NHS mantém atualmente sobre os preços dos medicamentos, caso as empresas americanas tenham maior acesso.

Em uma entrevista coletiva em Londres na terça-feira, Trump foi questionado se acreditava que o NHS deveria fazer parte de um acordo comercial entre o Reino Unido e os Estados Unidos depois do Brexit.

Ele disse aos repórteres: “Quando você está lidando com o comércio, tudo está na mesa, então o NHS ou qualquer outra coisa, ou muito mais que isso Mas tudo estará sobre a mesa, absolutamente.”

Os comentários levaram a críticas ferozes de vários parlamentares, inclusive do secretário de Saúde e da liderança, Matt Hancock. Ele já havia condenado comentários semelhantes do embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido, Woody Johnson, e twittou: “Caro Sr. Presidente, o NHS não está na mesa das negociações comerciais – e nunca estará. Não sob meu comando”.

O ex-secretário Brexit Dominic Raab disse: “O NHS não está à venda para nenhum país e nunca estaria se eu fosse o primeiro-ministro”. O secretário de Desenvolvimento Internacional, Rory Stewart, disse que nã ofereceria o NHS em nenhum acordo comercial.

O líder trabalhista Jeremy Corbyn, que falou em uma manifestação de protesto contra o presidente Trump momentos antes da conferência de imprensa do presidente, também twittou: “Nosso NHS não está à venda”.

Em sua entrevista ao GMB, o presidente pareceu recuar

Substituindo Theresa May nas perguntas, o ministro do Gabinete David Lidington disse que o NHS não está e não estará à venda.

Veja a notícia completa no site  da BBC.

Facebook Comments